sexta-feira, 5 de maio de 2017

Percepção

Percebo a morte chegando
Não a morte de qualquer pessoa
Minha própria morte...

Percebo no sono
Não é mais o mesmo
Sono tranquilo de criança
No peso da cabeça
Aumentando com o passar dos anos...

Percebo na dormência das pernas
Hoje quase não me correspondem
Percebo no cansaço do corpo
Aos poucos vai curvando
Em direção a terra...

São quase cinco décadas de trabalho...

Percebo na dificuldade de enxergar
O perto fica cada vez mais longe
O longe de tão distante
Virou nuvem branca...

Vejo a morte chegando
Sinto no desacelerar do coração
Na fraqueza das mãos
No aumento da pressão arterial
Nas rugas do rosto em decadência...

Antes da morte que é certa
Definho de tristeza e solidão
Um arco sem flechas...

Noites e dias são tão iguais
O que os difere é a insistente luz
Pouca atravessa a fresta da janela
Sol, que vai alto
Num céu azul, imagino...

Metade do dia, talvez!

Minha única certeza
É a vida que aos poucos se finda...




                         Poema de João Crispim Victorio.
                             Livro: Sobre o Trabalho que Falo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Coletânea de poesias: Rede de poemas (Cód:10282576) Torquato, Ana Paula; Gilberto Pizarro; Lima, João Rodrigo Gabriel De; João Cr...